expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 7 de abril de 2014

LUIS FERNANDO DESISTE DA PRE-CANDIDATURA AO GOVERNO DO ESTADO - VEJA A NOTA OFICIAL



O ex-secretário de Estado da Infraestrutura, Luís Fernando (PMDB) emitiu um comunicado na manhã desta segunda-feira (7), onde apresenta os motivos que o levaram a desistir da sua pré-candidatura ao cargo de governador do estado. Veja a nota na íntegra:


Comunicado de Luis Fernando Silva ao povo do Maranhão

A propósito da minha pré-candidatura ao Governo do Maranhão, comunico à sociedade maranhense que:

1 – Na proximidade do período eleitoral, os grupos políticos iniciam um processo de articulação visando à escolha de nomes para a disputa. A cultura política brasileira instituiu para esse período a figura do pré-candidato;

2 – Em julho de 2013, as lideranças políticas do grupo ao qual pertenço atribuíram a mim tal condição de pré-candidato e não de candidato. Aproximando-se a campanha propriamente dita, é natural, no mundo político, que tal condição se altere, no interesse do êxito eleitoral;

3 – Concluída a missão de auxiliar do governo, na qual tive a honra de exercer, a convite pessoal da Governadora, os cargos de Secretário-Chefe da Casa Civil e de Secretário de Estado de Infraestrutura, após análise da conjuntura política e dos prováveis cenários em que ocorrerá a campanha eleitoral, manifestei a Sua Excelência, antes da data da minha desincompatibilização e do seu anúncio de permanecer ou não à frente do Poder Executivo até 31 de dezembro, a decisão de não concorrer ao pleito, deixando a critério do grupo político o momento adequado para promover a devida substituição;

4 – Ressalto a confiança, o apoio e a distinção de que sempre fui alvo por parte da Governadora Roseana no exercício dos referidos cargos de Secretário de Estado bem como na atividade político-institucional a eles inerentes;

5 – Destaco, também, que integro o círculo de amigos pessoais da governadora Roseana Sarney e dos seus familiares;

6 – Nesta oportunidade comunico, também, a decisão de permanecer como integrante do grupo, prestando apoio político ao Governo Roseana Sarney e me mantendo na luta pelo desenvolvimento do Maranhão;

7 – Valho-me desta oportunidade para manifestar a minha gratidão à Governadora, aos Senadores, aos ex e atuais deputados federais e estaduais, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores que integram o nosso grupo político, assim como aos líderes comunitários e estudantis, dirigentes de organizações da sociedade civil, movimentos sociais, militantes partidários, imprensa, usuários das redes sociais, cidadãos e cidadãs de todo o Maranhão que me acolheram, apoiaram e estimularam o cumprimento da missão de levar obras públicas a todas as cidades maranhenses;

8 – Finalmente, ao Maranhão, que testemunhou em mim compromisso e dedicação ao trabalho, reafirmo a esperança, que me conduziu durante todos esses anos, por um futuro ainda melhor.

São José de Ribamar, 07 de Abril de 2014

Luis Fernando Silva

sábado, 5 de abril de 2014

DILMA TEM 38%, AÉCIO,16% E CAMPOS, 10%, DIZ DATAFOLHA

Em fevereiro, no mesmo cenário, Dilma tinha 44% das intenções de votos. Aécio Neves tinha 16%, e Eduardo Campos, 9%. 

A pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (5) pelo site do jornal "Folha de S.Paulo" indica que a presidente Dilma Rousseff (PT) teria 38% das intenções de voto e venceria no primeiro turno caso a eleição fosse hoje e ela tivesse como adversários o senador Aécio Neves (PSDB), o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), e incluísse partidos menores.


Nesse cenário, Aécio teria 16% das intenções de voto, e Campos, 10%. Votos em branco ou nulos seriam a opção de 20%. O outros 9% responderam que não saberiam em quem votar.

O Datafolha entrevistou 2.637 pessoas em 162 municípios na quarta (2) e quinta (3), com margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em relação à pesquisa feita em fevereiro e comparando o mesmo cenário, a intenção de votos em Dilma caiu de 44% para 38%. Aécio manteve os mesmos 16% de intenções de voto e Campos tinha 9%.

Cenários

De acordo com a pesquisa Datafolha, em cinco cenários, a única candidata que poderia levar as eleições para presidente para um eventual segundo turno seria Marina da Silva, com 27% das intenções de voto - o que representa uma elevação de 4% em relação ao levantamento de fevereiro deste ano. Neste caso, Dilma teria 39% das intenções de voto, e Aécio, 16%.


Sem os partidos menores, Dilma teria 43% das intenções de voto, Aécio, 18%, e Campos, 14%.

Caso Lula fosse o candidato do PT na disputa para a presidência, ele teria 52% das intenções de voto. Aécio teria 16%, e Campos, 11%.

No cenário com Lula, Marina e Aécio, o candidato do PT teria 48% das intenções de voto, Marina 23%, e Aécio, 14%.

Segundo o levantamento do Datafolha, a queda na aprovação da presidente Dilma Rousseff em relação à última pesquisa está relacionada com a deterioração das expectativas de inflação, com o emprego e com o poder de compra da população. Ao mesmo tempo, a pesquisa também mostra que, hoje, para 63% dos entrevistados, a presidente faz menos pelo país do que eles esperavam - contra 34% há pouco mais de um ano atrás.

Cenário A (com os partidos menores)

- Dilma: 38%
- Aécio: 16%
- Campos: 10%
- Brancos/nulos: 20%
- Não sabe: 9%


Cenário B (sem os partidos menores)

- Dilma: 43%
- Aécio: 18%
- Campos: 14%
- Brancos/nulos: 19%
- Não sabe: 6%


Cenário C

- Dilma: 39%
- Marina: 27%
- Aécio: 16%
- Brancos/nulos: 13%
- Não sabe: 6%


Cenário D

- Lula: 52%
- Aécio: 16%
- Campos: 11%
- Brancos/nulos: 16%
- Não sabe: 5%


Cenário E

- Lula: 48%
- Marina: 23%
- Aécio: 14%
- Brancos/nulos: 11%
- Não sabe: 4%



Fonte da Informação: g1.com.br

GOVERNADORA ROSEANA SARNEY NÃO ABRIRÁ MÃO DOS NOVE MESES DO MELHOR GOVERNO DE SUA VIDA

“Me chamo Ana, Juliana ou Roseana, eu sou a mulher”.

O dia do fico. Governadora continua o seu trabalho
Acabou o mistério. A governadora Roseana Sarney (PMDB) não renunciará para se candidatar ao Senado. Ela anunciou ontem que vai cumprir o seu mandato até o último dia, para honrar o compromisso assumido com o eleitorado na eleição de 2010, que venceu no 1º turno, de deixar o Palácio dos Leões no dia 31 de dezembro deste ano, tendo realizado o melhor governo da sua vida.



Protagonizando um ato de grande coragem política, Roseana fez o anúncio de maneira objetiva, evitando se manifestar sobre assuntos que agora serão tratados na esfera partidária, como a disputa para o Senado, por exemplo. A decisão de permanecer no cargo está lastreada por vários fatores. Dois deles se sobrepõem: o pessoal e o administrativo.
No campo pessoal, a governadora alega cansaço da vida pública e necessidade de se dedicar mais a si e à família. Roseana está na ciranda política desde 1985, quando se tornou uma das principais assessoras do então presidente Jose Sarney. Em 1990, se elegeu deputada federal e em 1994 governadora, se reelegendo em 1998 em um só turno. Em 2002, se elegeu senadora; em 2006 disputou o governo, mas irregularidades lhe tiraram a eleição; mas assumiu em 2009 por decisão judicial e se reelegeu em 2010 no 1º turno. Nenhum período de descanso em quase 30 anos.

No campo administrativo, o programa de obras é denso e sem paralelo na história recente do estado. O Saúde é Vida, com a construção, reforma e reabertura de hospitais, e o Viva Maranhão, que tem por base o programa rodoviário. Na educação, será inaugurado no mês que vem, no antigo Colégio Maristas, o primeiro ginásio de tempo integral do estado. Em São Luís estão em fase final a Via Expressa, a Avenida Quarto Centenário, o Espigão Marítimo e a primeira etapa do Anel Metropolitano, entre várias outras obras. Não seria justo abrir mão de nove meses de governo. A governadora deu o passo que julgou mais certo. Tem autoridade pessoal e política para isso.



Estado Maior

sexta-feira, 4 de abril de 2014

RICARDO MURAD ASSUME SEGURANÇA SEM CUMPRIR METADE DAS PROMESSAS FEITAS NA SAÚDE

Hospital de Conceição do Lago Açu - obras paradas e promessas requentadas (matéria em breve)

Atual7

Construção dos 72 hospitais e a complexa entrega do Pam Diamante e do Carlos Macieira permanecem caracterizadas como estelionato eleitoral

Numa jogada que deve ser sentida principalmente por prefeitos do interior do Maranhão, o deputado licenciado e secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, assumiu oficialmente a Secretaria de Segurança Pública, nesta-sexta-feira (4), e deve acumular as duas funções até o final de dezembro deste ano, quando deixa ambas as Pastas, independente de quem seja eleito em outubro próximo.

Embora não possua qualquer entendimento de como gerenciar a SSP/MA, Murad assumiu o comando do coração do Governo Roseana Sarney, que enfrenta grave crise, mesmo sem ter cumprido sequer as principais promessas de trabalho da outra Pasta, a da Saúde: a construção dos sonhados 72 hospitais e a complexa entrega do Pam Diamante e do Hospital Estadual de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira, ambas inseridas no ‘britânico’ programa Saúde é Vida, e consumidoras de milhões do bolso do contribuinte maranhense.
Comando de Ricardo Murad na SSP/MA deve apontar, principalmente, em direção aos municípios do Maranhão. Foto: Nestor Bezerra


GUARDIÃO Comando de Ricardo Murad na SSP/MA deve apontar, principalmente, em direção aos municípios do Maranhão. Foto: Nestor Bezerra

Das três, a principal promessa lançada pelo duplo secretário era construir e entregar, prontos para uso, 72 hospitais no Maranhão: 64 hospitais de 20 leitos; 8 hospitais de 50 leitos; 2 hospitais de 100 leitos; e 1 hospital de 150 leitos. Até o momento, nem mesmo a metade das unidades foram entregues.

No final de 2011 e 2012, Ricardo Murad chegou a garantir, em nota distribuída à imprensa, que no final daqueles anos todos os hospitais do programa ‘Saúde é Vida’ estariam concluídos. Além de não ter cumprido a requentada promessa, ele ainda carrega sob sua caneta a existência de casos de hospitais onde as obras estão paradas ou não foram inauguradas.


O novo secretário de Segurança do Maranhão enfrenta ainda um relatório da Controladoria Geral do Estado, órgão do Governo do Maranhão, que aponta de forma cristalina fraudes em licitações realizados pela sua gestão na Saúde, dentre elas um forte esquema de direcionamentos de certames, como os que determinaram a escolha das empresas Dimensão Engenharia Ltda, Lastro Engenharia Ltda e J.N.S Canaã, para contratos estimados em quase R$ 600 milhões.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

DR. NAGIPE NÃO TRABALHARÁ MAIS NO MUNICÍPIO DE JOSELÂNDIA. POR QUE MESMO HEIM?


Sec. de Saúde Orleans e Dr. Nagipe em seu aniversário
Já faz alguns dias que o Dr. Nagipe de Sousa Ramos Filho, o mesmo que prestava serviço na Unidade Mista Santa Marta em Joselândia decidiu não voltar à cidade para continuar seu trabalho. Já está com um pouco mais de uma semana que os joselandenses se deram conta de que o Dr. não aparece.

Na verdade o medico não trabalhará mais aqui em Joselândia. Segundo informações, ele pediu a rescisão do contrato que tinha com o município. Há especulações de que ele estaria insatisfeito com salários que o município estaria lhe devendo; mas nada confirmado.

O Dr. Nagipe é um excelente profissional, que há anos prestou serviço a comunidade joselandense e que sem dúvida deixará saudades nos seus companheiros de trabalho, que aqui compartilhou muitos momentos bons, como o seu aniversário que aconteceu em fevereiro deste ano onde reuniu vários amigos e colegas.

PLANOS - “ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DE JOSELÂNDIA”, UMA TENTATIVA DOS GOVERNISTAS PARAR O SINDICATO (SINSERPDOM)?



Alguns; continuam de braços cruzados
O grupo governista municipal está tentando criar uma alternativa para os servidores com cargos de confiança ou que não são oposição tentando reuni-los  para criarem uma espécie de associação. Mas tudo não passa de uma retaliação da administração municipal de Joselândia contra o sindicato dos servidores públicos, que até então não mede esforços para defender a categoria, que antes eram bem vista até mesmo pelo próprio gestor atual que incentiva o presidente a lutar pelos direitos dos sócios. Mas isso antes dele se tornar prefeito, porque agora, mais uma vez demonstra que não é do direito dos servidores que está preocupado.

Até então os administradores ainda não conseguiram reunir os servidores para tratar desse assunto, mas as especulações nos bastidores do governo municipal é de que pretendem por em prática esse plano; criar através de alguns servidores aliados do prefeito uma associação. Será se vai dar certo? Um sindicato lutando pelos servidores, enquanto esses mesmos servidores não se manifestam, ou se, se manifestarem, será contrária às decisões do mesmo, garantindo mais os interesses da administração?! Afinal essa associação será para servidores simpatizantes do governo municipal ou para quem quiser se aliar a ele e se desfiliar do sindicato (SINSERPDOM).

Lembrando que Associação e Sindicato são distintos, um não tem nada haver com o outro. Sindicato é grupo de trabalhadores de uma categoria organizados para conseguir maior força de negociação e Associação é grupos de pessoas que criam os mais diversos seguimentos de grupos, com as mais diversas finalidades. Pode haver um grupo voltado para o lazer, um grupo voltado para a cultura, um grupo que fiscaliza e organiza um bairro (associação de moradores) enfim, os exemplos são muitos.

Então se a intenção da administração é realmente frustrar o sindicato criando uma associação para os “seus” servidores, enganam-se, pois a força de um ou as suas decisões não implicará na ordem que mantém o sindicato dos servidores públicos na ativa.

SAI LISTA DE MUDANÇAS NO GOVERNO ROSEANA; RICARDO CONFIRMADO NA SSP

Governadora Roseana Sarney
O Governo do Estado emitiu há pouco a lista oficial com os nomes dos secretários que deixam o Executivo para disputar as eleições de outubro e seus respectivos substitutos.
Como antecipado ontem (2) por este blog o secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad (PMDB), fica mesmo na SES e responderá também pela Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Na Casa Civil sai João Abreu (PMDB) – que deve ser candidato a suplente de senador – e entra Anna Graziella, presidente da Fundação da Memória Republicana Brasileira (FMRB).

O secretário de Planejamento, João Bernanrdo Bringel, acumulará a atual função com a de secretário de Educação, em substituição ao deputado federal Pedro Fernandes (PTB), que tentará reeleição.

O secretário de Turismo, Jura Filho (PMDB), acabou recuando e não disputará mais a eleição. Nas secretarias de Articulação Política, Juventude e Assuntos Estratégicos ainda não estão definidos os substitutos de Ricardo Archer Filho, Paulo Marinho Jr., e Alberto Franco, todos do PMDB.

Veja abaixo a lista completa.

CASA CIVIL

Sai: João Guilherme Abreu
Assume: Anna Graziella Costa (responde também pela Fundação da Memória Republicana Brasileira)

CIDADES E DESENVOLVIMENTO URBANO (Secid)

Sai: Hildo Rocha
Assume: Antonio Manoel Silvano Neto

GESTÃO E PREVIDÊNCIA (SEGEP)

Sai: Fabio Gondim
AssumeMarcos Fernando Jacinto

INFRAESTRUTURA (SINFRA)

Sai: Luis Fernando Silva
Assume: José Raimundo Frazão Ribeiro

FAZENDA (SEFAZ)

Sai: Cláudio Trinchão
Assume: Akio Valente

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR (SECTEC)

Sai: José Costa
Assume: Fernando Lima (Interino)

ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL

Sai: Rodrigo Comerciário
Assume: Pamela Batista dos Santos

Os titulares da Seplan, Seir e SES responderão, respectivamente, pelas pastas da Educação; do Trabalho e Economia Solidária e Segurança Pública.

SEGURANÇA PÚBLICA (SSP)

Sai: Aluisio Mendes
Responde: Ricardo Murad (titular da SES)

TRABALHO E ECONOMIA SOLIDÁRIA (SETRES)

Sai: José Antônio Heluy
Responde: Claudeth Ribeiro (titular da Sec. de Igualdade Racial)

EDUCAÇÃO (SEDUC)

Sai: Pedro Fernandes
Responde: João Bernardo Bringel (titular da Seplan)

Ainda por definir:

JUVENTUDE (SEJUV)

Sai: Paulo Marinho Jr.

ASSUNTOS POLÍTICOS

Sai: Ricardo Archer Filho

ASSUNTOS ESTRATÉGICOS

Sai: Alberto Franco

Fonte: blog do Gilberto Leda